Grupos de Estudos

Antropologia, Direitos Humanos e povos tradicionais

Responsável: prof. Dr. Antônio Hilário Aguilera Urquiza

Realiza, desde 2009, encontros mensais e conta com a presença tanto de alunos(as), professores(as), pesquisadores(as) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, quanto de interessados(as) da sociedade em geral. As pesquisas do grupo envolvem alunos(as) de PIBIC, mestrandos(as) e doutorandos(as) que atuam dentro das seguintes linhas de pesquisa: A formação de professores indígenas em Mato Grosso do Sul; Crianças Kaiowá e Guarani em situação de acampamento; Comunidades Quilombolas - diversidade, territorialidade e direitos; Direitos Humanos de Mulheres e Crianças Indígenas - questões para a Antropologia; Direitos Humanos, Fronteiras, Migração e Tráfico de Pessoas; Povos indígenas em contexto urbano: identidades e fronteiras socioculturais. Algumas das atividades desenvolvidas até o momento: Especialização Culturas e História dos Povos Indígenas (2014-2015), com mais de 200 alunos (MEC/UFMS); Publicação de livros: “Direitos Humanos” - (MEC), “Cultura e História dos Povos Indígenas em MS” - (UFMS), “Políticas de Inclusão: indígenas no Ensino Superior”; 03 cursos de Formação de profissionais – Educação em Direitos Humanos em MS (2008, 2010 e 2013) nos municípios polos (Campo Grande, Amambaí, Aquidauana, Coxim, Corumbá, Bela Vista) e outros 16 municípios vizinhos; Criação do Comitê Estadual de Educação em DH de MS em 2010 e capacitação de 350 profissionais da educação sobre os Direitos Humanos; Projeto de pesquisa com financiamento público - Políticas públicas em comunidades quilombolas de MS; no prelo, livro sobre o tema; Projeto do UNICEF (2010-2011) levantamento diagnóstico qualitativo sobre o grau de realização de Direitos Humanos das mulheres e crianças indígenas de Dourados/MS; Projeto de pesquisa: Análise da Migração e tráfico de pessoas na fronteira de MS (UCDB. UFMS e MPT).



Impróprias - Grupo de Pesquisa em Gênero, Sexualidade e Diferenças

Responsável: prof. Dr. Tiago Duque

Desenvolve pesquisas voltadas às questões de gênero, sexualidade e diferenças em uma perspectiva foucaultiana, feminista, queer e des-colonial. Promove análises que contribuem para a formação de diferentes profissionais. Realiza atividades de pesquisa, ensino e extensão no sentido de buscar a garantia da ampliação de direitos. Envolve professores, pesquisadores, estudantes universitários, militantes e representantes de entidades civis interessados nas temáticas de gênero, sexualidade e diferença. Favorece o trabalho inter-multi-disciplinar em todas as suas ações.


Grupo de Estudos sobre Política em MS

Responsável: prof. Dr. Daniel Estevão Ramos de Miranda

Espera-se promover projetos de pesquisa que abarquem os diversos aspectos da política sul-mato-grossense a partir da perspectiva da Ciência Política. Assim, o objetivo principal é estabelecer um trânsito de duas vias: partir de teorias e pesquisas politológicas nacionais e internacionais para melhor entender as similitudes e especificidades da política no estado de MS e, por outro lado, contribuir para a problematização daquelas teorias e pesquisas, testando-as em âmbito regional.

GT Cornelius Castoriadis

Responsável: prof. Dr. David Victor-Emmanuel Tauro

Propomos investigar a obra de Cornelius Castoriadis pelo desenvolvimento de interrogações ontológicas, epistemológicas e metodológicas a partir de dois pólos: o conceito de criação e a categoria de autonomia. Estes pólos estão ancorados em seis áreas de conhecimento: filosofia, linguagem, política, sociologia, economia, história e psicanálise. Pretendemos trabalhar a partir de levantamentos bibliográficas e documentais de sua obra e de obras secundárias de autores em espanhol, francês, inglês e português. a metodologia do trabalho será feita se fazendo, criando os procedimentos na medida em que as obras apresentam suas exigências. Este procedimento se justifica devido à natureza própria da interrogação filosófica de Castoriadis que colocou em questão a herança filosófica tradicional do Ocidente. Espere-se uma nova série de monografias nos interstícios das áreas acima citadas.


Levs: Laboratório de estudos da violência, gênero e Sexualidade

Responsável: prof. Dr. Aparecido Francisco dos Reis

Grupo de estudos e pesquisa sobre gênero, sexualidade e violência.
Maiores informações:
Diretório de Grupos de Pesquisa (CNPq)
Página do Levs no Facebook
Grupo do Levs no Facebook


NEG - Núcleo de Estudos sobre Gênero

Responsável: prof. Dr. Aparecido Francisco dos Reis e Profa. Dra. Ana Maria Gomes

O NEG - Núcleo de Estudos de Gênero da UFMS - é um grupo que tem por objetivo desenvolver estudos, pesquisas e extensão de temas relevantes sobre a condição feminina e da masculinidade, em suas relações com a sociedade. Com caráter tanto de pesquisa quanto de militância, o NEG promove atividades e estabelece intercâmbio com Associações, Grupos e Entidades referentes a temas vinculados diretamente com as relações sociais de gênero, visando a maior integração de conhecimentos e participação na definição de políticas específicas dessa área, promovendo a eqüidade de gênero. Contato: neg_ufms@yahoo.com.br.


Núcleo de Estudos em História e Sociologia do Trabalho

Responsável: prof. Dr. Cleverson Rodrigues da Silva

O Objetivo do Núcleo de Estudos em História e Sociologia do Trabalho é analisar e compreender o processo de construção da Sociedade Brasileira e Latino-americana a partir da variável trabalho, levando-se em consideração os apectos sociais, políticos e econômicos que envolvem o mundo do trabalho. PROJETOS EM ANDAMENTO: TÍTULO: A Organização Trabalhista no Brasil Republicano: um estudo da Legislação Trabalhista (1889-2010) Descrição: Desde a Proclamação da República, muitas Leis, Decretos e Decretos-leis foram promulgados no Brasil sobre a questão trabalho. Assim, a sociedade brasileira passou por um processo de grande transformação em sua estrutura no que diz respeito à construção e constituição da sociedade através desta variável. Partimos da tese de que, à medida que estas Leis vão sendo promulgadas, vai-se constituindo a sociedade brasileira no tocante à relação Capital/Trabalho. Desse modo, entender como se dá este processo é de suma importância para a compreensão da formação da sociedade brasileira republicana. Assim, o objetivo da pesquisa é analisar como se dá a construção da sociedade brasileira, tendo como base a Legislação Trabalhista Republicana, como reagem os atores históricos e de que forma isso influenciou a sociedade, ou se a mesma foi determinante na construção desse aparato jurídico que se constituiu a partir de 1889 até os nossos dias. Para esta análise termos como fonte a Legislação Trabalhista disponível nos site do Senado da República, bem como toda a literatura histórica e sociológica já produzida no Brasil sobre a temática. Como resultado final, espera-se traçar um panorama da sociedade brasileira que se constitui a partir desta variável.